sexta-feira, 25 de maio de 2018

Cristina Ferreira - Crónica ( XXIV )












O artigo publicado no Esquerda.net, a 21 de maio de 2018 dá-nos conta da decisão da Autoridade para as Condições do Trabalho: confirma-se a violação do direito à greve dos trabalhadores por parte da empresa mineira Somincor. 

A Inspetora Geral da Autoridade para as Condições do Trabalho disse aos deputados que as duas ações inspetivas na Somincor deram origem a participações para o Ministério Público.

Ouvida na comissão parlamentar de Trabalho e Segurança Social na passada quinta-feira, dia 17, Luísa Guimarães confirmou as duas ações inspetivas por parte da Autoridade para as Condições do Trabalho, em dezembro de 2017 e março de 2018. 



As inspeções da ACT surgiram após denúncias por parte dos trabalhadores de assédio moral por parte a administração na sequência das greves realizadas nos últimos meses, com o afastamento de alguns grevistas dos cargos de responsabilidade que desempenhavam nas lavarias das minas de Neves-Corvo.

Dessas ações inspetivas resultaram procedimentos contraordenacionais e a participação ao Ministério Público por indícios de violação do direito à greve por parte da empresa.

“Estamos atentos e continuamos a acompanhar a situação na Somincor”, afirmou a inspetora-geral, adiantando estarem em causa outras irregularidades como as alterações nos horários de trabalho e mudança [compulsiva – ed.] de funções de trabalhadores com consequente perda de remuneração, a interdição de acesso ao local de trabalho ou incumprimento no pagamento do subsídio de Natal.

Espero que os trabalhadores tenham percebido a força que têm quando estão unidos e a Somincor que tenha percebido que a injustiça e repressão não se podem mascarar com operações de marketing e sessões de esclarecimento.

(mais informações disponíveis em fonte: Esquerda.net)




Cristina Ferreira
25-05-2018